COMPARTILHAR
Anúncios Google
CAMPOS DAS VERTENTES: ARTESANATO
Anúncios Google
 

ver_art_15Mãos habilidosas tecem fios, criam tramas, moldam formas, esculpem objetos. O variado artesanato dos Campos das Vertentes revela traços do passado arraigados ao ofício do artesão.

A arte barroca inspira formas, gestos e cores aos santos e retábulos entalhados em cedro. Peças de prata sustentam a tradição da arte sacra colonial e móveis pintados lembram a beleza dos tetos das capelas e igrejas.

A atividade manufatureira, desenvolvida no século XIX como alternativa para o esgotamento das minas de ouro, produz selas, arreios e outros artefatos de couro.

Objetos de estanho produzidos em São João del-Rei resgatam o uso do metal. A produção atual deriva da primeira fábrica, instalada na cidade nos anos 60, que elaborou moldes a partir de peças antigas da região.

ver_art_16Em Tiradentes, a prata e o latão são matérias-primas de jóias, cálices, castiçais, vasos e cachepôs, forjados manualmente em modelos que se repetem de pai para filho. Da mesma maneira, peças de cerâmica lembram os tempos da água depositada em bilhas de barro e potes.

O tradicional tear traz à memória a proibição portuguesa de instalar manufaturas na colônia. Colchas, toalhas, tapetes e redes são produzidos em teares por quase toda a comunidade de Resende Costa.

Em Coronel Xavier Chaves, as mulheres tecem a renda de abrolhos em panos rústicos de algodão, que se transformam em toalhas e forros para decorar a casa ao gosto mineiro.

Objetos de madeira

ver_art_01A madeira presta-se a utilidades variadas. Artesãos esculpem verdadeiras imagens barrocas, influenciados pela atividade artística do século XVIII. Esculturas populares remetem à cultura mineira: o tropeiro e seu cavalo, flores e frutos do cotidiano também servem de inspiração. Outra tradição são os móveis – rústicos, pintados ou mais sóbrios, produzidos em madeiras nobres.

ver_art_02 ver_art_03

Artefatos de couro

ver_art_06Em Prados, antigas selarias mantém viva a tradição de moldar o couro. A sugestiva frase ‘selas, arreios e seus pertences’, inscrita na fachada de alguns casarões, revela a variedade de artigos de montaria produzidos na cidade. Selas, estribos e cilhas são decorados com desenhos e finos recortes que marcam a superfície lisa do couro.

ver_art_04 ver_art_05

Cerâmica

ver_art_07A tradição herdada de avô para pai e filho é mantida graças a dedicação de ‘seu’ Tião Paineiras, um respeitado artesão de Tiradentes. A argila é colhida perto de sua casa, misturada com água e colocada sobre o torno manual. Os pés dão velocidade ao girar constante e as mãos, acostumadas às formas, moldam e aprumam o barro que se transforma em potes, moringas e outras peças decorativas.

 

 

Peças de metal

ver_art_09A arte de forjar metais é tradição secular nos Campos das Vertentes. Depois do ouro, famílias inteiras viveram do artesanato da prata em Tiradentes, ainda hoje, uma tradição na cidade. Em São João del-Rei, a produção de peças em estanho resgatou e valorizou o uso do metal, transformado em requintados objetos de mesa. Outros artesãos dedicam-se a uma variada produção de peças decorativas em latão.

ver_art_10 ver_art_11

Tecelagem

ver_art_12Tecidos e fios de algodão formam a trama básica dos teares mineiros, que permitem inovações constantes. Pontos e desenhos expressam a criatividade de artesãos anônimos, especialmente os de Resende Costa, que produzem peças variadas: umas alegres, outras sóbrias, umas rústicas, outras requintadas. Além do crochê, os ‘tapetes de grade’ são tradicionais em Prados. Em Coronel Xavier Chaves, o trabalho manual dispensa a armadura dos teares e as mãos tecem livremente delicadas rendas de abrolhos.

ver_art_13 ver_art_14

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *