COMPARTILHAR
Anúncios Google
PARATY: MONUMENTOS RELIGIOSOS
Anúncios Google
 

Matriz de Nossa Senhora dos Remédios – Padroeira de Paraty

monr_a01A Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, centro das atividades religiosas e culturais de Paraty, impressiona pelo seu porte monumental. A edificação atual é a terceira erigida no local dedicada à padroeira da cidade A primeira foi construída em 1646 e a segunda em 1668, mas, por serem muito pequenas e não conseguirem atender o povoado, foram demolidas.

Sua construção arrastou-se por 86 anos (1787-1873) e custou muito dinheiro ao povo de Paraty. Ficou inacabada, como evidenciam as torres, de tamanho desproporcional ao restante da edificação.

O declínio da economia, ocasionado pelo fim do ciclo do ouro, é uma das explicações para a igreja ter ficado inacabada. Outra hipótese relaciona-se com o peso excessivo do frontispício, que se inclinou para frente, ameaçando a construção. Em seu interior, encontram-se imagens dos séculos, XVII, XVIII e XIX, entre outras, a de São Roque (antiga imagem que veio da primeira capela do povoado).

Atualmente, nas galerias superioresfunciona a pinacoteca Antonio Marino Gouveia, com obras de Djanira, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Frank Schaeffer, Armando Viana e outros.

monr_a02 monr_a03 monr_a05 monr_a06

Na matriz é realizado a festa do Divino Espírito Santo e a Semana Santa.

Localização: Praça da Matriz ou Praça Monsenhor Hélio Pires – Centro Histórico
Visitação: Segundas, quartas, sextas- feiras e sábados, pela manhã e aos domingos, das 08:00h às 12:00h e das 14:00h às 17:00h.

Igreja de Santa Rita dos Mulatos

monr_b02A Igreja de Santa Rita, considerada uma igreja barroca, foi construída provavelmente em 1722, pelos homens pardos alforriados com a ajuda de devotos brancos. A Igreja de Santa Rita, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN,  em 1962. Durante muito tempo, foi usada pela elite branca da cidade em substituição à Matriz de Nossa Senhora dos Remédios.

É o mais antigo templo de Paraty. Sua fachada é típica das igrejas jesuítas, com três janelas no coro, uma porta e frontão curvilíneo. Encimando a torre do campanário há um galo de grimpa – um catavento – em cobre.

O altar -mor, em talha policromada, é ladeado por colunas torsas com seus sulcos preenchidos por ornamentos fitomorfos.

monr_b01  monr_b03  monr_b04

Atualmente a igreja abriga o Museu de Arte Sacra de Paraty, criado em 1973 e administrado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. No seu acervo estão imagens como a de Nossa Senhora dos Remédios, padroeira de Paraty e pratarias dos séculos XVII, XVIII e XIX pertencentes às confrarias religiosas da cidade. Além do seu acervo, o Museu de Arte, promove também a pesquisa e a divulgação do testemunho histórico, religioso e cultural do povo paratiense.

Localização: Largo de Santa Rita, s/nº – Centro Histórico
Telefones: (24) 3371-8328 ou (24) 3371-8751
Visitação: de quarta-feira a domingo, das 09:00h às 12:00h e das 14:00h às 17:00h.
E-mail: masdp@museus.gov.br

Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito

monr_c01A Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito começou a ser construída em 1725 pelos irmãos Manuel e Pedro Ferreira dos Santos com a ajuda de todos os escravos. Por isso, ela era considerada a igreja dos pretos de Paraty.

A fachada é do mesmo tipo das capelas mineiras do século XVIII, com uma porta e duas janelas no coro. O frontão triangular, com um óculo, é encimado por uma cruz.

Em 1757 foi totalmente reedificada. No final do século XIX a igreja ganhou uma torre sineira.

monr_c02  monr_c03  monr_c04

O conjunto dos altares laterais é a mais importante talha das igrejas de Paraty.
Destaca-se ainda o lustre em cristal com um suporte em forma de abacaxi e os altares em talha dourada de São benedito e São João.

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, com a supervisão do arquiteto e museólogo Júlio César Dantas e com recursos do Ministério da Cultura, foi restaurada em 2002.

Localização: Rua Tenente Francisco Antônio ou Rua do Comércio no entroncamento com a Rua Samuel Costa.
Visitação: Geralmente a igreja é aberta todos os dias, das 13:00h às 17:00h, por uma das senhoras da comunidade.

Igreja de Nossa Senhora das Dores

monr_d01A Capela de Nossa Senhora das Dores, hoje chamada apenas por Capela das Dores ou Capelinha, começou a ser construída em 1800 pelo Padre Antônio Xavier da Silva Braga, com a ajuda de alguns devotos. Foi a igreja freqüentada pela elite branca de Paraty.

Em 1901, a igreja foi reformada pelo Pe. João Cesar Tera. No mesmo ano, foi fundada a Irmandade de N. Sra. das Dores, constituída só por mulheres. A irmandade cuidava da igreja e era a responsável pelas festas do Ciclo da Páscoa.

No período de 2007/2009, com a doação feita por Alexandre e Vera Negrão e com a fiscalização do IPHAN, a Capela de Nossa Senhora das Dores, passou por restauração e teve resgatado as características originais de policromia e douramento.

monr_d03  monr_d04  monr_d05

No interior destaca-se a delicadeza do rendilhado em madeira nas sacadas e no coro, o cemitério em estilo de columbário circundando o pátio interno e o galo cata-vento em sua torre.

Localização: Rua da Capela, s/nª
Visitação: aos sábados, das 13:30h às 18:00h
Ingresso: gratuito

Passos da Paixão

monr_e02Tradição que veio de Portugal ainda no Brasil Colônia.
Os Passos – altares públicos incrustados nas fachadas de casas ou igrejas – são usados na Procissão dos Passos da Paixão de Cristo, na monr_e01Sexta-Feira Santa. Cada um dos seis Passos representam momentos da paixão de Cristo, rumo a sua crucificação. A procissão pára em todos eles, fazendo orações.

Dos seis Passos que originalmente existiam em Paraty, quatro já em ruínas, sendo dois da Rua D.Geralda e dois da Rua do Comércio, foram demolidos em 1929 e reconstruídos pelo IBRAM. Dois Passos, um da Lateral da Igreja de Santa Rita (Coroação de Espinhos) e um da Rua do Comércio (Flagelação), são originais.

Os Passos da Paixão,  passaram por intervenções de conservação e restauro, através de recursos recebidos do Instituto Brasileiro de Museus nos anos de 2007 (Flagelação);  2008 (Coroação de Espinhos, Horto das Oliveiras, Prisão) e 2009 (Pretório)

Localização: Lateral da Igreja de Santa Rita (4º Passo-Coroação de Espinhos), Rua do Comércio (1º Passo-Horto das Oliveiras; 2º Passo-Prisão; 3º Passo-Flagelação); Rua Dona Geralda (5º Passo-Pretório; 6º Passo-Cruz às Costas).
Visitação:  Apenas na sexta-feira santa

Capela Santa Cruz da Generozza ou Capela da Generosa 

Segundo a lenda, a singela Capela da Generosa foi construída em 1901, ligada a uma superstição da semana santa e por ordem de Dona Generosa uma moradora do povoado, em memória do escravo liberto Theodoro Dias Villela. Teodoro teria morrido afogado nas águas do Rio Morto, braço do Rio Perequê-Açu quando tentava pescar numa Sexta-Feira Santa, contrariando a tradição da época – que não recomendava a pesca neste dia.
Dona Generosa, cumprindo uma promessa, fez levantar próximo ao local do sinistro uma cruz de cedro e mais tarde para proteger a cruz, mandou erguer uma Capelinha com altar e luminária que ficou conhecida como –  Santa Cruz da Generosa

monr_f01  monr_f02

Localização: Atrás da Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, à margem direita do Rio Perequê-Açu, no Beco do Propósito. (ver no mapa)

Igreja Nossa Senhora da Conceição de Paraty-Mirim

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição começou a ser construída em 1720 pelo Sr. Antonio da Silva. Mais tarde foi reedificada pelo Coronel Jorge Pedroso de Souza, sendo concluída e consagrada no ano de 1746.

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição é a mais antiga de Paraty e está localizada junto a praia de Paraty-Mirim, enseada preservada e habitada por índios.

A Igreja é simples e tem um altar dedicado a Nossa Senhora da Conceição, cuja imagem em madeira, encontra-se hoje no Museu de Arte Sacra de Paraty.

monr_g01  monr_g02  monr_g03

Construído em pedra e cal, o templo apresenta linhas simples. Na sua fachada, com duas janelas no coro e porta com moldura em cantaria, destaca-se o nicho destinado ao sino, junto a um dos cunhais. O interior é singelo.

O retábulo, com seu dossel e sanefas recortadas na madeira, guarda semelhança com os Passos da Paixão de Paraty. No alto, a silhueta de um par de anjos.

Localização: Praia de Paraty-Mirim
Ônibus para visitação: Viação Colitur
Telefone para informações: (24) 3371-1224

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *